Legislativo

Câmara lança a campanha Novembro Azul e pede providências para o descaso e duplicação na BR-230

A sessão ordinária da Câmara Municipal de Campina Grande, desta quarta-feira (3), realizada em formato remoto, foi presidida pelo vereador Marinaldo Cardoso (Republicanos), contando com a presença de 21 vereadores.

Durante a sessão foi feito o lançamento do Novembro Azul, campanha de prevenção ao câncer de próstata e os vereadores mais uma vez solicitaram providências para a BR-230 no trecho da PRF até o Cajá.

O vereador Waldeny Santana (DEM), fez mais uma prestação de contas do seu mandato. Da sua visita à Brasília na última semana, em busca de recursos para Campina Grande, no que diz respeito ao Programa Famílias Fortes desenvolvido nos CRAS – Centro de Referência de Assistência Social, no Complexo Habitacional Aluízio Campos, em São José da Mata, Galante e no Bairro Glória.

De acordo com o vereador, das 60 famílias participantes, apenas duas não completaram o ciclo. “O programa é um sucesso em Campina e tudo começa na família”, destacou.

Ele informou ainda que em Brasília procurou o deputado Efraim Filho, que garantiu uma emenda no valor de R$200 mil para 2022 e R$320 mil de emenda do deputado Pedro Cunha Lima. Com   estes recursos se pode assegurar a expansão do programa na cidade.

O parlamentar disse ainda que está em curso uma parceria com a Universidade Federal. E que em breve a cidade receberá a visita da ministra de Políticas Públicas voltadas às famílias.

O vereador Alexandre Pereira (PSD), disse que ontem retornou do Sertão do Ceará e que a BR-230 até chegar ao Ceará é um verdadeiro tapete, um contraste com o trecho da PRF ao Cajá.

Mais uma vez ele abordou o tema ligado ao preço dos combustíveis, que a gasolina vendida em um Atacadão de Patos é mais barata que em Campina, o mesmo acontece na cidade de Juazeirinho.

“Os 56 postos da cidade prejudicam aproximadamente 500 mil pessoas com preços tão altos”, frisou.

A vereadora Jô Oliveira (PCdoB), falou sobre a COP26, a Conferência Internacional em relação ao clima, citando o compromisso realizado pelos governos para que se possa pensar nas futuras gerações, podendo trazer orientações para criação de projetos no parlamento. Dentro dessa temática, citou a visita que fez ao Sertão na última sexta-feira, discutindo as energias renováveis, impacto das energias eólicas e solares, pensando nas energias limpas e como pode afetar no dia a dia.

Por fim, citou a violência contra as mulheres, destacando o aplicativo Ifood que foi hackeado no dia de ontem, e uma das coisas que aconteceram foi à troca dos nomes dos restaurantes, colocando nomes de ‘’Marielle Peneira’’, fazendo a memória de toda violência do que foi a morte de Marielle Franco. ‘As pessoas que definem um lado, acabam ridicularizando e normalizando a violência que foi a morte de Marielle e de tantas outras mulheres países a fora’ – frisou.

Disse também que durante essa festa de halloween, o assassinato de Elisa Samudio virou fantasia. “Que sociedade estamos criando onde matar mulheres é fantasia? Que tipo de fetiche é este? ’’, perguntou.

Facebook